30 dez

Você usa software pirata? Cuidado!

Não é surpresa que, diante dos altos custos de ferramentas corporativas, muitas empresas caem em tentação por ofertas mais “acessíveis” de softwares originais. Mas apesar da redução de gastos ser um fator motivador — especialmente em época de crise — jamais deve ser o único levado em conta. Afinal, quem não conhece a clássica história do barato que pode sair caro?

No Brasil, a ABES (Associação Brasileira de Empresas de Software) é a organização responsável por combater as fraudes no mercado. As auditorias acontecem, normalmente, quando a desenvolvedora do software solicita à ABES uma relação de suas licenças no país, tornando passíveis de investigação as empresas que não encaminham a documentação necessária. Vale lembrar que cada usuário da empresa precisa possuir a licença dos softwares que utiliza, senão é encrenca das grossas.

Dependendo do número de licenças irregulares, somente uma ação indenizatória basta para levar empresas à falência. Mas o impacto não só é sentido no bolso, não. Danos irreversíveis à imagem da corporação também estão entre as consequências em utilizar softwares piratas, causando desconfiança entre os clientes em relação aos seus produtos e serviços ofertados.

Muitos programas pirateados utilizam os chamados “crackers” para quebrar um sistema de segurança qualquer, como uma verificação de autenticidade. No entanto, não há como garantir que também não serão inseridos códigos maliciosos no programa modificado do original. Agindo de forma silenciosa, os vírus não só reduzem a performance do sistema, como também podem corromper arquivos, enviar informações confidenciais para estranhos e por aí vai. Já pensou se entre essas informações estão senhas de cartões de crédito e contas bancárias?

O que muitas empresas ainda não sabem é que é possível licenciar máquinas corretamente e com baixo custo. Empresas que antes só vendiam licenças de softwares lançaram um novo modelo de negócio para contornar a pirataria e que já representa uma vantagem competitiva no mercado. A grande sacada do Software as a Service (SaaS) é ser oferecido por Cloud Computing, eliminando a necessidade de pagar por licenças para baixar e instalar aplicativos nos próprios computadores ou centro de processamento de dados da empresa.

Quando comparado aos softwares tradicionais, o SaaS sai na frente. O serviço é disponibilizado em qualquer computador ou dispositivo móvel com acesso à Internet e funciona como um aluguel: contrata-se serviços de acordo com a demanda de cada empresa e o pagamento  é estritamente proporcional ao uso. No mais, como o SaaS é baseado em subscrição e não em aquisição, é possível descontinuar o seu uso a qualquer momento se não houver satisfação por parte dos usuários. Além disso, as soluções SaaS sofrem atualizações e melhorias constantemente e, normalmente, de forma automática, além de suporte especializado 24×7 para resolver qualquer inconstância.

Você viu aqui que não vale a pena cair na tentação de utilizar softwares em desconformidade com as leis e regras de patente e propriedade intelectual, já que as consequências são inúmeras. Mais vale apostar em soluções inovadoras, como o SaaS, para assegurar a segurança, reputação e continuidade dos negócios da empresa. Pirataria de softwares é crime, sim. E como diz o velho ditado: o crime não compensa.

Share this
19 dez

Atenção, empresas! É o fim do boleto sem registro.

Visando dar maior segurança contra fraudes, tornar mais seguro e ágil o sistema nacional de liquidação de títulos, a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) juntamente com a rede bancária, iniciaram em 2015 a implementação do projeto de uma nova plataforma de pagamentos para boletos de cobrança registrada, e anunciou que em 01/01/2017 a cobrança simples será descontinuada.

A migração para a nova plataforma está ocorrendo gradativamente, obedecendo o seguinte cronograma:

Junho de 2015 – Fim da oferta da cobrança sem registros para novos clientes

Agosto de 2015 – Início da operação da base centralizadora de benefícios

Dezembro de 2016 – Término da migração das carteiras de cobrança sem registro para a modalidade registrada

Janeiro de 2017 – Início da operação da base centralizadora de títulos

Para que um boleto seja registrado, deverá constar, obrigatoriamente, no documento de cobrança e no registro bancário pela internet, o CPF ou CNPJ do pagador (sacado).

Os boletos sem registro emitidos após 2017 só poderão ser pagos no banco emissor, mesmo antes da data de vencimento.

É muito importante que as empresas busquem adequar a sua forma de emissão de boletos à esta nova realidade e assim evitar prejuízos e transtornos aos seus clientes.

Em caso de dúvidas, consulte este guia: Fim do boleto sem registro – Perguntas e Respostas

 

Fábio Cunha

Datamex

Share this
13 dez

Descubra o porquê de não hospedar seu servidor fora do Brasil.

Você já viu aqui em nosso blog o que são máquinas virtuais e o porquê de representarem uma “estratégia” que envolve maior desempenho e economia para empresas de diversos setores de atuação.

Impulsionada pela enorme demanda, a oferta de nuvem cresce a cada dia mais. Uma vez entendidos todos os benefícios e tomada a decisão de migrar para a nuvem, as empresas podem contratar servidores nacionais ou estrangeiros para executar o projeto de migração e gerenciar o ambiente. Existem motivos de sobra para a sua escolher um servidor nacional.

Imagine a Internet como uma teia de aranha que interliga todos os servidores, possibilitando que todos se comuniquem. Quanto mais longe um servidor estiver do outro, maior o tempo de resposta, certo? Servidores hospedados no Brasil estão, logicamente, mais próximos das empresas brasileiras, o que significa menor latência — ou seja, o tempo de resposta é muito menor. Já servidores hospedados nos EUA, por exemplo, apresentam alta latência e podem comprometer o desempenho de uma aplicação.

Pense, ainda, como seria o atendimento de uma empresa estrangeira considerando a diferença de idioma e fuso horário. Confuso, certo? Antes de fazer a contratação de um servidor estrangeiro, as empresas deveriam pensar que imprevistos acontecem e que, a qualquer momento, irão precisar de um suporte técnico descomplicado.

Ainda, um provedor estrangeiro costuma padronizar a cobrança em dólar, euro ou outras moedas que não o real. Devido às frequentes oscilações do câmbio, o ambiente de nuvem poderá vir a custar duas ou três vezes o valor inicialmente projetado, comprometendo o orçamento destinado à área.

Além de todas as facilidades, sua empresa precisa contar com um suporte técnico especializado, com garantia de resolução dos seus problemas da forma mais rápida e eficaz possível. A DevOpers busca proporcionar a você a melhor experiência com servidores de última geração, além de profissionais especializados e atendimento diferenciado!

Share this
06 dez

Falta de segurança pode ser fatal!

É sabido que a virtualização vem transformando o mercado de TI, à medida que facilita rotinas e agiliza processos. Mas apesar da crescente popularidade, o armazenamento de dados virtuais ainda desperta dúvidas e preocupações. Será possível armazenar dados de forma segura e assegurar que ataques cibernéticos ou falhas de equipamentos não irão prejudicar o andamento das operações? O receio é grande, já que abalos nesse setor podem colocar os negócios em perigo.

Se de um lado a prática não para de evoluir, de outro a ação de usuários mal intencionados também aumenta. Os hackers estão cada vez mais habilidosos e ágeis em burlar os sistemas e roubar ou danificar informações. E isso não gera apenas prejuízos morais (como a perda de dados importantes de clientes), mas também ocasiona prejuízos com alto custo financeiro.

Falhas de software podem, literalmente, parar o funcionamento de uma empresa e não apenas o seu setor de TI. Para evitar o pior, deve ser dada uma atenção especial ao backup de dados e, se possível, atualizá-lo. Também é válido manter um armazenamento temporário dos últimos dados deletados.

As empresas fornecedoras de Cloud Computing devem e são responsáveis pela segurança, integridade e confidencialidade dos dados de seus clientes. Elas devem oferecer uma infraestrutura certificada que garanta a privacidade de informações com regras rígidas de segurança através do suporte de uma equipe especializada. A criptografia é uma eficiente maneira de proporcionar a segurança necessária às informações, garantindo que elas não serão interpretadas — mesmo no caso de serem interceptadas.

As ameaças existem de fato e podem acontecer a qualquer momento, mas com o apoio de uma empresa de suporte especializada em soluções na nuvem eficientes você pode ficar tranquilo que nada implicará na continuidade dos processos e em prejuízos para o seu negócio. Saiba que, na nuvem, o cuidado com as informações, a simplicidade e eficiência no controle e gerenciamento de arquivos, e a garantia do perfeito funcionamento do sistema são garantidas.

Share this

© 2014 DevOpers. Todos direitos Reservados.