23 nov

A realidade agora é virtual

O que era, a alguns anos atrás, uma tecnologia cara e pouco utilizada, hoje é uma tendência de mercado a nível global. A Computação na Nuvem, assim como a virtualização completa da infraestrutura de TI, representa uma estratégia que envolve maior desempenho e economia para as empresas, independente do seu porte e setor de atuação.   

Virtualizar nada mais é do que dividir os recursos de um servidor físico em vários servidores virtuais, também chamados de máquinas virtuais, de modo que diversos sistemas operacionais possam ser executados no mesmo hardware físico e isolados entre si. Ao contrário do que é especulado, a virtualização não é um processo caro quando comparado aos seus benefícios.  

Para se ter uma ideia, hoje mais de 70% do orçamento de TI é gasto simplesmente para manter o ambiente funcional, enquanto menos de 30% do orçamento é investido em inovação, diferenciais e vantagens competitivas. Isto quer dizer que quase todo o investimento em TI é simplesmente gasto para se “apagar fogo”, resolver problemas emergenciais e muito pouco é investido na solução do problema.

Motivadas pela possibilidade de redução de custos com equipamentos, manutenção  e, até mesmo, energia elétrica, as empresas encontram na virtualização a solução de seus problemas. De cara, elas ainda experimentam um aumento em sua produtividade e mobilidade em diversas situações.

Cada vez mais as pessoas acessam informações por meio de dispositivos móveis e tal comportamento não é restrito as horas de lazer, não.  A correria do dia a dia e a necessidade de mobilidade é um convite às empresas para investirem em tecnologias que ofereçam liberdade aos usuários, sem perder a segurança. Com a virtualização, os funcionários das empresas podem acessar remotamente informações salvas no servidor e ainda têm facilidade de uso e acesso para executar qualquer atividade.   

Por falar em segurança, a virtualização também é uma alternativa eficaz no que diz respeito à instabilidades. Como as máquinas virtuais funcionam isoladas e independentes umas das outras, eventuais problemas que possam surgir, não afetam as demais máquinas e o sistema não tem seu funcionamento prejudicado. Como toda a conexão é criptografada e utiliza protocolos padrões de mercado, os dados tem toda proteção necessária.

Além de todas essas vantagens citadas, há um ponto significativo que precisa ser considerado quando se fala em virtualizar: sustentabilidade. Com o uso mais racional de equipamentos físicos e a consequente diminuição de lixo eletrônico, a virtualização torna-se uma grande arma contra a emissão de carbono na atmosfera. Parece incrível demais acreditar que a tecnologia não só contribui com o bolso e produtividade das empresas, como também com o meio ambiente, não é mesmo?

O que vem sendo observado é que as empresas que ainda ainda não adotaram a tecnologia tendem a aderir em um ritmo cada vez mais acelerado e aquelas que já virtualizam parte de suas aplicações caminham para ampliar sua utilização e atender melhor às necessidades do mercado.

Share this

Leave a reply