13 dez

Descubra o porquê de não hospedar seu servidor fora do Brasil.

Você já viu aqui em nosso blog o que são máquinas virtuais e o porquê de representarem uma “estratégia” que envolve maior desempenho e economia para empresas de diversos setores de atuação.

Impulsionada pela enorme demanda, a oferta de nuvem cresce a cada dia mais. Uma vez entendidos todos os benefícios e tomada a decisão de migrar para a nuvem, as empresas podem contratar servidores nacionais ou estrangeiros para executar o projeto de migração e gerenciar o ambiente. Existem motivos de sobra para a sua escolher um servidor nacional.

Imagine a Internet como uma teia de aranha que interliga todos os servidores, possibilitando que todos se comuniquem. Quanto mais longe um servidor estiver do outro, maior o tempo de resposta, certo? Servidores hospedados no Brasil estão, logicamente, mais próximos das empresas brasileiras, o que significa menor latência — ou seja, o tempo de resposta é muito menor. Já servidores hospedados nos EUA, por exemplo, apresentam alta latência e podem comprometer o desempenho de uma aplicação.

Pense, ainda, como seria o atendimento de uma empresa estrangeira considerando a diferença de idioma e fuso horário. Confuso, certo? Antes de fazer a contratação de um servidor estrangeiro, as empresas deveriam pensar que imprevistos acontecem e que, a qualquer momento, irão precisar de um suporte técnico descomplicado.

Ainda, um provedor estrangeiro costuma padronizar a cobrança em dólar, euro ou outras moedas que não o real. Devido às frequentes oscilações do câmbio, o ambiente de nuvem poderá vir a custar duas ou três vezes o valor inicialmente projetado, comprometendo o orçamento destinado à área.

Além de todas as facilidades, sua empresa precisa contar com um suporte técnico especializado, com garantia de resolução dos seus problemas da forma mais rápida e eficaz possível. A DevOpers busca proporcionar a você a melhor experiência com servidores de última geração, além de profissionais especializados e atendimento diferenciado!

Share this
24 nov

O que são máquinas virtuais?

O conceito de máquina virtual não é novo. Mas, apesar de existir desde os anos 90, o boom da virtualização se deu somente agora. O motivo? Em uma mercado cada vez mais permeado por incertezas econômicas, diversas empresas passaram a vislumbrar uma economia de custos bastante significativa através da adoção da tecnologia — além de benefícios em disponibilidade, mobilidade e, principalmente, de rápida recuperação de problemas.

Mas antes de discorrermos sobre suas vantagens, você sabe o que são máquinas virtuais (VM’S)? Basicamente, uma máquina virtual funciona como um computador dentro do computador — que existe logicamente, não fisicamente. Uma máquina virtual pode executar qualquer tipo de software, como um servidor, cliente ou desktop.

Na prática, as máquinas virtuais oferecem inúmeras vantagens em comparação às máquinas físicas. Elas, por exemplo, são incrivelmente compactas e fáceis de gerenciar: podem ser deslocadas, copiadas e transferidas entre computadores para otimizar a utilização de recursos de hardware.  

O isolamento é uma das grandes vantagens da virtualização. Ele faz com que várias máquinas virtuais rodem sem que o funcionamento de uma afete o desempenho das outras. Em resumo, aplicações e serviços que são executados dentro de uma máquina virtual não irão interferir no sistema operacional original e nem no desempenho de outras máquinas virtuais, caso eventuais falhas aconteçam.

Um parque de servidores virtuais ainda traz por padrão a proteção contra a falha física de servidores. As máquinas virtuais são protegidas por um recurso chamado High Avaliability (HA) onde, caso haja falha do servidor que está executando uma máquina virtual, a mesma é automaticamente ligada em um outro servidor e em poucos minutos o sistema se recupera automaticamente.

Além disso, cada máquina virtual pode ter capacidades diferentes de acordo com cada necessidade. Uma pode ter mais memória, outra mais processador, outra mais espaço em disco e cada qual divide uma fração do servidor original.

Máquinas virtuais também podem ser resetadas facilmente. Você pode instalar o sistema operacional e, em seguida, criar uma “snapshot” do estado atual da máquina virtual. Um “snapshot” é baseado em arquivos de estado, dados de disco e configuração de uma máquina virtual, em um ponto específico no tempo. Quando ela for modificada, existe a possibilidade de voltar para o estado anterior. O processo é rápido e simples e garante a integridade do sistema virtual.

Apesar da recente e forte popularização em ambientes corporativos, a virtualização ainda é um assunto que desperta muitas dúvidas. Como armazenar dados importantes de forma segura? É possível acessá-los de qualquer lugar e de forma rápida? O receio surge da necessidade de um rigoroso cuidado com suas informações. Saiba que com a virtualização você tem maior simplicidade e eficiência no controle e gerenciamento de arquivos, além da garantia do perfeito funcionamento do sistema.  

Share this
23 nov

A realidade agora é virtual

O que era, a alguns anos atrás, uma tecnologia cara e pouco utilizada, hoje é uma tendência de mercado a nível global. A Computação na Nuvem, assim como a virtualização completa da infraestrutura de TI, representa uma estratégia que envolve maior desempenho e economia para as empresas, independente do seu porte e setor de atuação.   

Virtualizar nada mais é do que dividir os recursos de um servidor físico em vários servidores virtuais, também chamados de máquinas virtuais, de modo que diversos sistemas operacionais possam ser executados no mesmo hardware físico e isolados entre si. Ao contrário do que é especulado, a virtualização não é um processo caro quando comparado aos seus benefícios.  

Para se ter uma ideia, hoje mais de 70% do orçamento de TI é gasto simplesmente para manter o ambiente funcional, enquanto menos de 30% do orçamento é investido em inovação, diferenciais e vantagens competitivas. Isto quer dizer que quase todo o investimento em TI é simplesmente gasto para se “apagar fogo”, resolver problemas emergenciais e muito pouco é investido na solução do problema.

Motivadas pela possibilidade de redução de custos com equipamentos, manutenção  e, até mesmo, energia elétrica, as empresas encontram na virtualização a solução de seus problemas. De cara, elas ainda experimentam um aumento em sua produtividade e mobilidade em diversas situações.

Cada vez mais as pessoas acessam informações por meio de dispositivos móveis e tal comportamento não é restrito as horas de lazer, não.  A correria do dia a dia e a necessidade de mobilidade é um convite às empresas para investirem em tecnologias que ofereçam liberdade aos usuários, sem perder a segurança. Com a virtualização, os funcionários das empresas podem acessar remotamente informações salvas no servidor e ainda têm facilidade de uso e acesso para executar qualquer atividade.   

Por falar em segurança, a virtualização também é uma alternativa eficaz no que diz respeito à instabilidades. Como as máquinas virtuais funcionam isoladas e independentes umas das outras, eventuais problemas que possam surgir, não afetam as demais máquinas e o sistema não tem seu funcionamento prejudicado. Como toda a conexão é criptografada e utiliza protocolos padrões de mercado, os dados tem toda proteção necessária.

Além de todas essas vantagens citadas, há um ponto significativo que precisa ser considerado quando se fala em virtualizar: sustentabilidade. Com o uso mais racional de equipamentos físicos e a consequente diminuição de lixo eletrônico, a virtualização torna-se uma grande arma contra a emissão de carbono na atmosfera. Parece incrível demais acreditar que a tecnologia não só contribui com o bolso e produtividade das empresas, como também com o meio ambiente, não é mesmo?

O que vem sendo observado é que as empresas que ainda ainda não adotaram a tecnologia tendem a aderir em um ritmo cada vez mais acelerado e aquelas que já virtualizam parte de suas aplicações caminham para ampliar sua utilização e atender melhor às necessidades do mercado.

Share this
08 set

Incremente seu faturamento. Saiba como!

Sabemos que o momento é de crise. Nem mesmo a garantia de um salário fixo é suficiente para cumprir com todos os compromissos financeiros e, por vezes, é preciso buscar uma alternativa para complementar a renda mensal. Para isso, você pode contar a DevOpers. Por meio do Programa de Parceiros, você pode crescer com flexibilidade e garantir renda extra através da revenda de nossas soluções em Cloud Computing.

A Cloud Computing, ou Computação na Nuvem, nunca esteve tão em alta e ganhou destaque quando o assunto é a capacidade de agilizar processos e reduzir custos. Muitas empresas estão deixando de lado modelos de armazenamento offline com DataCenters para aderirem à nuvem como solução na busca de maior praticidade, escalabilidade e segurança.

Com a revenda de Cloud Servers (servidores em nuvem), backups, e-mail corporativo e planos de hospedagem da DevOpers você já sai na frente ao oferecer a melhor oportunidade em T.I. para seus futuros clientes e ainda garante apoio comercial, suporte técnico 24×7 e a sua lucratividade.
O momento é agora. Conecte-se ao HUB, a rede de negócios da DevOpers, e aumente sua margem de lucro!
Share this
11 ago

Computação na Nuvem x Sustentabilidade

A utilização da Tecnologia da Informação permite aos profissionais automatizarem desde as mais simples até as mais complexas tarefas de uma empresa. Novas tecnologias surgem, cada vez mais, para viabilizar e reduzir os gastos com equipamentos e custos operacionais, além de ajudarem a reduzir o impacto ambiental e contribuírem para o desenvolvimento sustentável.

Com a Computação na Nuvem, por exemplo, já não se faz mais necessário investir centenas, ou até mesmo milhares de reais, em equipamentos. Como os dados são armazenados em um servidor externo e podem ser acessados de qualquer lugar através da Internet, elimina-se para as empresas a construção de um DataCenter e a hospedagem de servidores próprios. Com isso, os custos operacionais de manutenção e de um técnico especializado também são praticamente eliminados, uma vez que o fornecedor da nuvem é responsável pelas funções de manutenção e atualização do servidor.

A refrigeração e fornecimento de energia dos equipamentos também são questões importantes a serem levantadas. A empresa deve se certificar que a temperatura do ambiente esteja em níveis aceitáveis, sem haver oscilações de temperatura, e garantir que não falte energia para não interferir no funcionamento do equipamento e nem tampouco danificá-lo. O prejuízo seria ainda maior, certo? Sem contar o consumo de energia.

Segundo uma pesquisa realizada pela ACCETURE e WSP (2010), a Computação na Nuvem pode contribuir significativamente para a redução do consumo geral da energia em um ambiente corporativo e consequente emissão de gases do efeito estufa. Ao adotarem essa tecnologia, organizações com até 100 usuários podem reduzir em até 90% a emissão de carbono, enquanto nas grandes corporações a economia é, em média, de 30%.

Percebe-se que, entre os benefícios que podem ser obtidos por meio da Computação em Nuvem, destacam-se a redução de custos, a economia de energia e a rápida implantação. Sem a necessidade de investir em equipamentos, manutenção, segurança e upgrades, os recursos passam a ser concentrados em outras áreas para agregar mais negócios para as empresas.

Pronto(a) para migrar para a nuvem?

 

Referência:

www.cps.sp.gov.br/pos-graduacao/workshop-de-pos-graduacao-e-pesquisa/007-workshop-2012/workshop/trabalhos/desenvgestti/ti-verde-sustentabilidade.pdf

Share this

© 2014 DevOpers. Todos direitos Reservados.